Cadernos Acadêmicos https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos <p>A revista <strong>Cadernos Acadêmicos: conexões literárias </strong> é um periódico de publicação semestral, exclusivamente eletrônico, destinado à divulgação de trabalhos resultantes de pesquisas sobre literatura, de circulação nacional e internacional, realizada a partir da parceria estabelecida por meio de convênio de cooperação técnica firmado entre a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e a SP Leituras - Associação Paulista de Bibliotecas e Leitura, órgão de natureza cultural voltado à viabilização de políticas destinadas ao incentivo à leitura, tendo como principal papel gerir iniciativas da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, por meio da Unidade de Difusão Cultural, Bibliotecas e Leitura (UDBL). A revista conta com o apoio institucional do Programa de Pós-Graduação em Letras, da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas do Campus Guarulhos-SP (Unifesp). </p> UNIFESP/SP-LEITURAS pt-BR Cadernos Acadêmicos Lendo ComPaixão https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/54 <p class="p1">Depoimento coletivo com a finalidade de construção da memória do projeto de extensão Lendo ComPaixão destinado à promoção da leitura compartilhada de textos literários desenvolvido no âmbito do Departamento de Letras da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).</p> Luís Fernando Prado Telles Adriara Ferraz de Oliveira Nunes Cristiane Batista Periago Isabella Alves Candido do Sacramento Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Tradução literária do conto "La zanja", de Roxana Popelka https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/30 <p><span style="font-weight: 400;">O presente texto apresenta a tradução do conto <em>La Zanja</em>, publicado originalmente em espanhol, de autoria de Roxana Popelka, escritora espanhola que, embora tenha publicado vários contos e romances, não possui nenhuma de suas obras traduzidas ao português. Esta tradução pretende, primeiramente, dar a conhecer em português a obra dessa autora contemporânea de substanciosa e qualificada produção literária. Igualmente, almeja colaborar com um movimento que busca dar visibilidade a obras produzidas por mulheres, com vistas a que sejam mais traduzidas, bem como mais estudadas na academia. </span><em><span style="font-weight: 400;">La Zanja</span></em><span style="font-weight: 400;"> problematiza questões como identidade, sexualidade, relações familiares e sensação de pertencimento.&nbsp;</span></p> Andreia dos Santos Menezes Carolina Camargo Soares Figueiredo Gabriele da Costa Rodrigues Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 MARQUES, Pedro. Saques & Sacanagens: ensaio das dores brasis (2013-2020). Desenhos Paulo Ito. São Paulo: Editacuja, 2021. https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/53 <p>Resenha da obra MARQUES, Pedro. Saques &amp; Sacanagens: ensaio das dores brasis (2013-2020). Desenhos Paulo Ito. São Paulo: Editacuja, 2021. </p> Cleber Vinicius do Amaral Felipe Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 SANDRONI, Luciana (org). Revista da Biblioteca Mário de Andrade, número 73 — Monteiro Lobato. São Paulo: Departamento Biblioteca Mário de Andrade, 120 páginas, 2019. https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/21 <p>Resenha da obra Revista da Biblioteca Mário de Andrade, número 73 — Monteiro Lobato, publicada em 2019 pelo Departamento Biblioteca Mário de Andrade.</p> Gustavo Vazquez Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Entrevista com Nataniel Ngomane https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/55 <p class="p1">Entrevista realizada com Nataniel Ngomane, professor de Literatura na Faculdade de Letras e Ciências Sociais (FLCS) da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), em Maputo - Moçambique, e Presidente do Fundo Bibliográfico de Língua Portuguesa (FBLP), organismo dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e do governo moçambicano. A entrevista aborda, sobretudo, as relações entre Brasil e Moçambique no que concerne ao campo literário.</p> Nataniel Ngomane Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Apresentação https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/56 <p>Apresentação do volume</p> Luís Fernando Prado Telles Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Tão longe, tão perto https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/4 <p>A partir do conceito de transtextualidade de Genette (2010), o artigo propõe uma análise de Viagens na minha terra (1846) de Almeida Garrett e Conhecimento do inferno (1980) de António Lobo Antunes. O ponto de contato para a aproximação entre os textos é o tema da viagem, a partir do qual se problematiza o posicionamento do narrador em ambas as obras e se extrai um saldo interpretativo histórico-crítico sobre os textos em questão e sobre a cultura portuguesa.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>Palavras-chave</strong>: Narrativa; viagem; transtextualidade; Garrett; Lobo Antunes.</p> Lara Silva Perussi Bertão Luís Fernando Prado Telles Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Sobre a instância da falta e do amor em "Uma faca só lâmina" https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/27 <p><span style="font-weight: 400;">Este trabalho propõe uma leitura do poema </span><em><span style="font-weight: 400;">Uma faca só lâmina (ou: serventia das ideias fixa)</span></em><span style="font-weight: 400;">, de João Cabral de Melo Neto, considerando as características da poesia cabralina, tendo como objetivo articular os princípios reguladores da composição e a tematização do desejo amoroso no poema. Para tal, é levantada bibliografia crítica sobre o autor, além de textos de apoio para tratar do tema escolhido. A partir disso, busca-se compreender como a falta não apenas é tematizada no poema analisado, mas é parte integrante de sua composição e do sujeito lírico.&nbsp;</span></p> Lucas Vinicius Vebber Cardenas Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Um Lugar fora do espaço e do tempo https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/24 <p align="justify"><span style="font-family: Cambria, serif;"><span style="font-size: medium;">Este trabalho é uma leitura de </span></span><span style="font-family: Cambria, serif;"><span style="font-size: medium;"><em>Lisboaleipzig</em></span></span><span style="font-family: Cambria, serif;"><span style="font-size: medium;"> como texto que representa a utopia na impossibilidade de a escrever. A análise será feita, num primeiro plano, em torno do tema da utopia na literatura. Depois irá focar-se no modo como esse </span></span><span style="font-family: Cambria, serif;"><span style="font-size: medium;"><em>topos</em></span></span><span style="font-family: Cambria, serif;"><span style="font-size: medium;"> é presente ou aparente na obra dos autores que Maria Gabriela Llansol faz dialogar neste texto: Fernando Pessoa/ Aossê e Johann Sebastian Bach. Entre a criação e a destruição, a escrita de Llansol parece procurar o ritmo do movimento que em nada se fixa, possibilitando encontros imprevistos numa cidade imaginada.</span></span></p> Rogério Cruz Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 A dualidade (Neo) barroca em Herberto Helder https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/28 <p>Analisar os elementos neobarrocos nas obras de Herberto Helder é tentar mostrar como os aspectos formais e estéticos do estilo barroco permanecem na contemporaneidade e como se processam na poética Herbertiana. Este trabalho tem como objetivo fazer uma análise dos traços barrocos apresentados nas obras de Herberto Helder, sabendo que esta é uma nova forma de leitura de seus textos. Utilizamos como metodologia a leitura e análise de poesia, conforme se depreende do livro Poemas completos (2016).</p> Solange Damião Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Motivos noturnos como marcas do sublime em Gilka Machado https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/33 <p><span style="font-weight: 400;">A fim de expor a intimidade do seu eu-lírico enquanto mulher e a conexão com o meio, Gilka Machado utiliza dos motivos noturnos para promover a ligação entre os elementos marginalizados. Desse modo, a linguagem sublime propicia o contato com a infinitude da natureza e da noite e concede espaço para a exploração dos sentimentos. Para tanto debruça-se sobre os poemas “Silêncio”, “Falando à Lua”, “Noturnos” e “No tórculo da forma...” e mantém-se o diálogo com Edmund Burke (1993), Emmanuel Kant (2008), Candido (1987 e 2006) e outros.</span></p> Caroline Buratti David Fabiano Rodrigo da Silva Santos Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Cantando a diáspora negra https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/9 <p>Este artigo discute o samba-enredo de 2001 da GRES Beija-Flor de Nilópolis. A escola apresentou o enredo <em>A Saga de Agotime</em>,<em> Maria Mineira Naê</em>: rainha africana escravizada que teria, como destino, reencontrar seu povo e perpetuar, no Brasil, suas crenças<em>. </em>Assim, refletimos o redimensionamento do épico na obra, considerando sua composição para um desfile carnavalesco e a narração de uma epopeia de uma heroína negra. Ao final, apresentamos a relevância deste modo de contar na ressignificação da história colonialista brasileira. A metodologia baseia-se na pesquisa bibliográfica, fundamentando-se, principalmente, em Caretta (2013), Souza (2018), Mussa e Simas (2010) e Hansen (2008).</p> Matheus Gabriel-Freire Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Por trás do riso da morte https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/37 <p>Este trabalho analisa o romance As<em> intermitências da morte</em> (2005) na qual representa o acontecimento fantástico: o desaparecimento da morte. A euforia inicial dos indivíduos ao encontrarem a possibilidade da imortalidade é transtornada no momento em que as mazelas humanas são eternizadas, consequentemente, instaurando um conflito entre repulsa e reconhecimento em relação à figura da morte. O objetivo deste trabalho é analisar as manifestações satíricas contidas no romance português na qual contribui para a reflexão crítica sobre a finitude do indivíduo.</p> Natália Kanashiro de Medeiras Sandra Aparecida Ferreira Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Bach-tidão https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/10 <p><span style="font-weight: 400;">Este artigo propõe uma análise da canção Bum bum tam tam composta por MC Fioti, que deslocou o funk de um subgênero brasileiro para um </span><em><span style="font-weight: 400;">status</span></em><span style="font-weight: 400;"> de </span><em><span style="font-weight: 400;">world music </span></em><span style="font-weight: 400;">ao ser o primeiro videoclipe nacional a ter mais de um bilhão de visualizações no YouTube.</span></p> Juliano Lourenço Ferreira de Moraes Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Tempo de orgia https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/39 <p>Neste artigo, refletimos acerca da íntima relação entre tempo e discurso no romance <em>A festa</em> (1976), de Ivan Ângelo. Apontamos a conexão entre tempo e (con)formação do indivíduo, no intuito de discutir como a inserção do tempo presente (o agora), proposta vista como impossível, concretiza-se na narrativa em estudo em virtude do emprego de artifícios estruturais.&nbsp;</p> Vivian Dias Itamar Aparecido Oliveira Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 "O único riso solto que encontrei era pago" https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/1 <p><span style="font-weight: 400;">O presente trabalho busca analisar os aspectos políticos presentes na obra poética de Manoel de Barros, a luz dos fatos histórico-sociais que circundam o conjunto de seus poemas. Pretende-se demonstrar como, por meio de recursos como a paródia e o neologismo, sua poesia valoriza uma população oprimida e transgride estruturas fixas, automatizadas, enquanto se mostra crítica ao senso-comum, à poesia dita “elevada” e à reificação do homem na sociedade burguesa. Dessa maneira, pretende-se fornecer uma nova leitura interpretativa da poesia de Manoel de Barros, preenchendo assim uma lacuna em sua obra crítica, já constatada por Puchel (2015).</span></p> Victor Medeiros Pereira Pedro Marques Neto Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Apontamentos sobre as relações de gênero no romance "Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra" de Mia Couto https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/22 <p>O objetivo é discutir as relações de gênero sexuais no romance <em>Um rio chamado tempo, uma casa chamada terra</em> (2003), dentro do dualismo modernidade vesus tradição, em que o protagonista representa a modernidade e a ilha o tradicional. Nossa hipótese é de que a pretensa modernidade que chega à ilha reafirma o patriarcalismo e machismo, mesmo quando a obra parece apontar, a possibilidade de os “dois mundos” influenciarem-se positivamente. Verifica-se a naturalização de opressão de gênero na diegese. Conclui-se, que, no choque cultural essas se agudizam, as mulheres permanecem em condições de subordinação sem que haja uma contestação desse <em>status</em>.&nbsp;&nbsp;</p> Samuel Dias Ribeiro Simone Nacaguma Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Pedagogia antirracista, epistemicídio e literatura negrobrasileira https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/35 <p>Este artigo desenvolve uma análise da coletânea <em>Querem nos calar: poemas para sem lidos em voz alta</em> (DUARTE, 2019), pensa o ponto de vista feminino na literatura negrobrasileira e busca contribuir para o desenvolvimento de estratégias de pedagogia antirracista e contra o epistemicídio. Após analisar a relação entre os <em>griots</em> da África e a poesia falada, concluímos demonstrando a relação de luta entre o feminino e o viés ideológico masculino na lírica dessa coletânea. Para isso, discute-se a superação do epistemicídio (CARNEIRO, 2005) e Do racismo na escola (MUNANGA, 2005).</p> Valmir Luis Saldanha da Silva Simone Gabriela Rodrigues Benedito Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Secos & Molhados https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/5 <p><span style="font-weight: 400;">O presente trabalho, pretende apresentar aspectos orais, literários, coreográficos e musicais, definidores da banda brasileira </span><em><span style="font-weight: 400;">Secos &amp; Molhados</span></em><span style="font-weight: 400;">. Embora trabalhados de modo absolutamente inusitado, principalmente para uma época repleta de tabus comportamentais e repressão política, tais características fazem parte da própria história da canção brasileira comercial, desde sempre assentada nessas quatro bases: entonação oral, texto registrado na escrita, apresentação performática e arranjo musical. Especificamente, considerando os dados performáticos, tão evidentes nesse grupo, a discussão estará centrada na figura de um dos seus membros: Ney Matogrosso.</span></p> Suelen Santana Pedro Marques Neto Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 O fluxo da consciência na construção das personagens de Virginia Woolf e Clarice Lispector https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/32 <p>O modernismo na literatura foi responsável por uma série de rupturas que propiciou a experimentação de técnicas que buscavam dar maior profundidade aos aspectos psíquicos da personagem.&nbsp; O presente estudo propõe uma análise narrativa do uso do fluxo da consciência e do monólogo interior como técnicas de composição das personagens nos contos de&nbsp; Virginia Woolf e Clarice Lispector. Como referencial teórico, utilizam-se conceitos de autores como Humphrey (1976) e Carvalho (2012) para a compreensão do fluxo da consciência e do foco narrativo, bem como Gotlib (1998) e Cândido (2009) a respeito da construção da personagem de ficção no conto moderno.</p> DANIELA DE SOUZA MENDONÇA Lavínia Silvares Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Ninguém te saberá https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/29 <p>Examinaremos neste artigo a forma com a qual o escritor Caio Fernando Abreu representou, em seus poemas, o fenômeno da solidão gay enquanto temática. Para tal, analisamos, visando sua totalidade, quatro poemas presentes em sua antologia póstuma, de acordo com as teorias de pesquisadores sobre o estudo da solidão. Contudo, nosso foco se dará no levantamento acerca da solidão gay, que manifesta-se diferente da solidão <em>toutcourt </em>em suas causas. Tais repertórios nos possibilitaram a capacidade de enredar os poemas selecionados cronologicamente em uma série de sentimentos, resultando numa melhor compreensão da obra poética de Caio Fernando Abreu.</p> Cássio Souza da Silveira Diego Grando Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Releituras poético-críticas das cartas jesuíticas https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/44 <p><span style="font-weight: 400;">A partir da proposta de avaliação da Unidade Curricular “Cultura Letrada no Brasil do século XVI ao XIX”, ofertada no primeiro semestre de 2020, foram confeccionados três poemas baseados nas cartas dos padres jesuítas que vieram para o Brasil com intuito de catequizar as etnias que viviam aqui anterior à essa “chegada”. O catecismo, como sabemos, foi um dos braços da dominação e da colonização das terras tomadas pelos portugueses. Para além disso, as cartas foram um instrumento de registro e troca de informações acerca da experiência vivida e de divulgação detalhada, dentre as camadas eclesiástica e aristocrática, daquilo que foi encontrado por aqui. É importante ressaltar que tais cartas foram produzidas através do viés europeu no tocante às "terras brasileiras” e, diante disso, foi feito um trabalho de desconstrução e crítica do olhar do “colonizador”.&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;</span></p> Carolina Suhet Quintanilha Ferreira Larissa Rodrigues Scariel Dias Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Deslumbre (pela flora, pela fauna e pela nação) https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/23 <p>A partir do ponto de vista do descobridor, os poemas foram baseados na euforia de conhecer um novo mundo. Tomando a visão como principal elemento de elaboração, a imagem recém-descoberta, ainda desconhecida da terra e seu povo, é descrita minuciosamente com admiração e cobiça. Buscamos trazer na escrita o ar do ambiente inexplorado o qual foi deparado, junto ao encantamento misterioso proveniente da terra. Os poemas foram recortados em três seções: A flora, a fauna e o povo, figuras que têm identidade própria e ao mesmo tempo são relacionadas entre si.</p> Ana Luiza de Lima Cano Nunes Gabriela Miranda Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Prisão na eternidade https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/45 <p>Poesia escrita durante a pandemia da covid-19 e vencedora do Concurso Cultura e Memória da UNIFESP 2021.</p> Ana Beatriz Primo da Silva Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 As pedras que habitam o vazio https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/46 <p>As lembranças constroem o que chamamos de vida: se durante a pandemia somos constituídos de memórias, como viver dela em um país que constantemente tenta apagar a sua própria? É essa a reflexão que o conto busca retratar, ao comparar as vivências de um personagem durante o golpe militar de 1964 e o incêndio ocorrido na cinemateca, em julho de 2021.&nbsp;</p> <p>(3º lugar no concurso "Mostra sua Arte" da Universidade Federal de São Paulo).&nbsp;</p> Bárbara Santos Silva Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1 Pipa https://lbxxi.org.br/ojs/index.php/cadernos-academicos/article/view/52 <p>A crônica, premiada no concurso cultural Unifesp Mostra Sua Arte, cruza memórias de infância com as imagens de um cotidiano presente transpassado pelo cenário de declínio trazido pela pandemia, tecendo, a partir desse choque entre dois tempos, ressignificações que mantém viva a tentativa de construir novos caminhos, de construir um futuro, um mundo porvir, apesar de qualquer pesar.</p> Amabilin Strombeck Copyright (c) 2021 Cadernos Acadêmicos https://creativecommons.org/licenses/by-nc/4.0 2021-12-16 2021-12-16 1