Publicações | Crítica

Livro: um objeto carregado de beleza, arte e significado

Foto: Aline Araújo

A oficina online “Um brinquedo chamado livro: as possibilidades do livro infantil que extrapolam a narrativa escrita”, realizada em fevereiro, dentro da programação da Biblioteca Parque Villa-Lobos (BVL), teve o livro infantil como protagonista. Na atividade, o professor e escritor Fabiano Fernandes Garcez, destacou seu potencial artístico e falou sobre os elementos que constituem o objeto carregado de beleza, arte e significado.

Indissociáveis como corpo e alma, os livros são feitos de narrativas e também de capa, fontes, cores, formatos e materiais com diferentes texturas. Mostrar o poder dessa combinação, bastante evidenciada nas publicações infantis, foi o objetivo desses encontros. Nos debates, os participantes, de variadas formações e interesses, compartilharam suas primeiras experiências com a leitura. É justamente na infância, segundo a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada pelo Instituto Pró-Livro, em 2016, que as crianças têm o primeiro contato com os livros, seja em casa ou na escola, e começam a desenvolver o gosto pela leitura.

O professor trouxe dicas de leitura e experiências com obras como “É o lobo?”, com texturas escondidas nas páginas e que costumam fascinar os pequenos e “Lampião e Lancelote”, de Fernando Vilela, cuja ilustração impactante mescla as cores cobre, associada ao cangaceiro, e prata, em alusão ao cavaleiro. Fabiano sublinhou, ainda, a importância da indicação de leitura, de acordo com as etapas de crescimento das crianças e lembrou da efeméride do Dia Nacional do Livro Infantil. A data, 18 de abril, foi escolhida em homenagem ao nascimento do escritor Monteiro Lobato.

Esta oficina integrou o Literatura Brasileira no XXI, projeto em parceria com a Unifesp. Como forma de colocar em prática o conteúdo aprendido, os participantes escrevam resenhas sobre os títulos trabalhados, publicadas no site (clique aqui para conferir). 


Leia também

O transcendente na produção literária do modernismo brasileiro

Em um momento de grandes transformações vivenciadas pela sociedade brasileira no início do século XX, o futuro da nação era questionado pelo movimento modernista neste processo de mudanças. No campo intelectual, a busca era por uma identidade nacional e A Semana de Arte Moderna de 1922 foi um mo...

Leia Mais!
As formas do rito

É como se fosse um novelo a Semana de Arte Moderna. Um enovelado, uma intriga. Puxam-se fios de um lado para tramar formas novas. Se esgarçam de outro. Por vezes, enrolam-se e há pouco para ver diante do emaranhado de tensões que foram as de lá, e são também as de cá. O modernismo plural. Não ...

Leia Mais!
Um Brasil Sonoro: do Modernismo à Tropicália

A paisagem sonora brasileira se construiu por um conjunto de ambiguidades, multiplicidades e contradições, entre a consciência de projeto e suas realizações. Os encontros da oficina “Do Modernismo à Tropicália: diferentes modos de escutar canção e música brasileira”, se concretizaram, um ...

Leia Mais!
Sons do Brasil

Oficina com Gustavo Bonin mostra a influência do Modernismo e da Tropicálica na construção do Brasil sonoro.Se tem algo que realmente embalou a Semana de Arte Moderna de 1922 foi a música. Entre as diversas apresentações realizadas nos três dias de evento, os concertos dominaram a maior parte ...

Leia Mais!
Semana de Arte Moderna – por outros caminhos

Quando meu amigo e colega Pedro Marques me convidou para integrar o projeto Literatura Brasileira no XXI com uma oficina sobre a Semana de Arte Moderna, senti a alegria e a responsabilidade de levar ao público reflexões sobre o evento e seu papel no processo de renovação da cultura brasileira. Assi...

Leia Mais!
A Semana de Arte Moderna sob o viés das revistas literárias

Na oficina A Semana de Arte Moderna por Outros Caminhos, realizada nos dias 7, 8, 9 e 10 de novembro, na Biblioteca Parque Villa-Lobos, a professora de literatura brasileira da Unifesp, Mirhiane Mendes de Abreu, propôs um olhar diferenciado sobre o movimento modernista de 1922. Em vez de pesquisar as ...

Leia Mais!
Governo do Estado de SP