/ governosp

Publicações | Destaques

Novembro, mês da consciência negra

Foto: Ricardo Matsukawa.

Nosso portal chega ao segundo mês de vida. Novembro está sob o signo da consciência que traz a contribuição afro-brasileira para o primeiro plano. Mas também a consciência dos fundamentos republicanos. Essas duas frentes são complementares, porque apontam para um país mais justo e autoconsciente do passado e do futuro. 

Assim, este mês, a atividade do projeto Literatura Brasileira no XXI, incluída na programação da Biblioteca de São Paulo e Biblioteca Parque Villa-Lobos, reflete direta ou indiretamente os dias 15 e 20 de novembro. 

Na oficina “Escrever memórias em contos, diários, cartas, poesia e crônicas”, Maurina Lima conduziu a reflexão sobre alguns dos nossos principais escritores negros, em seus temas e dramas. Os textos produzidos pelos participantes, que podem ser lidos aqui, testemunham o quanto é necessário o Dia da Consciência Negra.

A busca por igualdade de direitos passa pelo exercício da democracia, ligado ao letramento da população como um todo. O acesso à cultura escrita, sem menosprezo à oralidade, é um dos ideias constituintes do Brasil. 

Que os textos deste mês abram essas duas portas na consciência de todos. Que só há democracia real com igualdade de condições entre os brasileiros de todas as origens. Que a própria democracia só é plena quando todos leem, compreendem e escrevem suas vidas.


Leia também

O Teatro além do Municipal

O projeto Literatura Brasileira no XXI destaca o dramaturgia modernista que, curiosamente, não constou do programa da Semana de Arte Moderna de 1922, embora ocorrida num Teatro Municipal. A ausência no emblemático evento, no entanto, não fez do gênero algo menos relevante no concerto da artes bras...

Leia Mais!
Modernismos em rede

O projeto Literatura Brasileira no XXI traz a renovação modernista enquanto tecido nacional de escritores, revistas e ideias. Com a oficina “Modernismos pelo Brasil: as poéticas dos anos 1920”, Leandro Pasini mostrou a Semana de Arte Moderna de 1922 não como deslocamento da hegemonia cultural d...

Leia Mais!
Coral de gritos: música e canção

Seguindo com a Semana de Arte Moderna de 1922, o projeto Literatura Brasileira no XXI destaca, em março, a música, justamente no mês de aniversário de 135 anos de Heitor Villa-Lobos. Protagonista musical da Semana, o maestro e compositor foi destaque na oficina “Do Modernismo à Tropicália: dife...

Leia Mais!
Uma semana muitos ângulos

O projeto Literatura Brasileira no XXI segue abordando o centenário da Semana de Arte Moderna de 22. A cada oficina de 2022 sempre um olhar renovado sobre o relevante evento. Evita-se, assim, narrativas romanescas – dois ou três gênios que decidiram o rumo das artes nacionais – ou mesmo anedóti...

Leia Mais!
Estação de chegada: 1922

O ano de 2022 carrega duas efemérides de peso: o bicentenário da Independência do Brasil e o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922. A primeira significa a rompimento com Portugal, antiga metrópole que se apossou e colonizou o país a partir de 1500.Uma ruptura controversa, evidente, pois qu...

Leia Mais!
E no Dia do Palhaço tem poesia

O Dia Universal do Palhaço é celebrado em 10 de dezembro. A palavra palhaço, com suas variantes, é tão presente quanto controversa em nossa cultura. Se essa figura, com sapatos maiores que os pés, é sinônimo de festa, também pode servir de ofensa. Por isso mesmo, o palhaço caminha feito a enc...

Leia Mais!