Publicações | Destaques

Novembro, mês da consciência negra

Foto: Ricardo Matsukawa.

Nosso portal chega ao segundo mês de vida. Novembro está sob o signo da consciência que traz a contribuição afro-brasileira para o primeiro plano. Mas também a consciência dos fundamentos republicanos. Essas duas frentes são complementares, porque apontam para um país mais justo e autoconsciente do passado e do futuro. 

Assim, este mês, a atividade do projeto Literatura Brasileira no XXI, incluída na programação da Biblioteca de São Paulo e Biblioteca Parque Villa-Lobos, reflete direta ou indiretamente os dias 15 e 20 de novembro. 

Na oficina “Escrever memórias em contos, diários, cartas, poesia e crônicas”, Maurina Lima conduziu a reflexão sobre alguns dos nossos principais escritores negros, em seus temas e dramas. Os textos produzidos pelos participantes, que podem ser lidos aqui, testemunham o quanto é necessário o Dia da Consciência Negra.

A busca por igualdade de direitos passa pelo exercício da democracia, ligado ao letramento da população como um todo. O acesso à cultura escrita, sem menosprezo à oralidade, é um dos ideias constituintes do Brasil. 

Que os textos deste mês abram essas duas portas na consciência de todos. Que só há democracia real com igualdade de condições entre os brasileiros de todas as origens. Que a própria democracia só é plena quando todos leem, compreendem e escrevem suas vidas.


Leia também

Modernista e cristão

O projeto Literatura Brasileira no XXI joga luz sobre algo que, de tão óbvio, é pouco abordado: o modernista, em regra, era profundamente cristão. Tal se dá por vários ângulos, a começar da formação católica de quase todos. Assim, para além dos que se alardearam convertidos, como Murilo Men...

Leia Mais!
Modernismo veste

O projeto Literatura Brasileira no XXI destaca algo às vezes esquecido quando pensamos em arte: com que roupa um artista andava ou como o figurino compunha sua imagem publica? Na década de 1920, quando o vestir era algo antes personalizado que industrial, os trajes codificavam classes sociais, traduz...

Leia Mais!
América Latino-Modernista

O projeto Literatura Brasileira no XXI descortina o modernismo em língua espanhola pelas Américas. Antes da Semana de 1922, países próximos e às vezes fronteiriços já chamavam a arte que produziam de modernista. O escritor nicaraguense Rubén Dário empregava o termo desde 1888. Ano da Lei Á...

Leia Mais!
Arquitetura literária

O projeto Literatura Brasileira no XXI fala, este mês, sobre as relações entre literatura e arquitetura modernistas. A Semana de Arte Moderna de 1922 não apresentou obras ou projetos arquitetônicos. Mas as conexões aconteceram por diversas vias. O apreço de alguns modernistas pelo casario de Our...

Leia Mais!
O Teatro além do Municipal

O projeto Literatura Brasileira no XXI destaca o dramaturgia modernista que, curiosamente, não constou do programa da Semana de Arte Moderna de 1922, embora ocorrida num Teatro Municipal. A ausência no emblemático evento, no entanto, não fez do gênero algo menos relevante no concerto da artes bras...

Leia Mais!
Modernismos em rede

O projeto Literatura Brasileira no XXI traz a renovação modernista enquanto tecido nacional de escritores, revistas e ideias. Com a oficina “Modernismos pelo Brasil: as poéticas dos anos 1920”, Leandro Pasini mostrou a Semana de Arte Moderna de 1922 não como deslocamento da hegemonia cultural d...

Leia Mais!
Governo do Estado de SP